Casa do Yakisoba

  Dia Mês Ano  
Horóscopo Chinês
Twitter Facebook Youtube
Navegando em "Curiosidades"
out 29, 2013
yakisoba

A história do Temaki

O Temaki é uma febre entre os jovens brasileiros.  Mas, o que poucos sabem é que, essa iguaria da culinária asiática tem uma origem interessante no Japão: ele era vendido em barracas nas ruas da capital japonesa no século 19 e foi feito especialmente para refeições rápidas (uma vez que te significa mão e maki enrolado, ou seja, enrolado com a mão), o cone de algas recheado foi criado desta forma para evitar que o shoyu caísse na roupa das pessoas enquanto elas andassem.
            Tornou-se a solução para quem precisava de refeições rápidas já que não precisa de hashis para seu consumo, o Temaki comumente vem em um prato ou em um suporte que o mantenha de pé.

            Aqui na Casa do Yakisoba nós amamos Temaki! Por isso, somos donos dos maiores de Campinas! Os nossos BIG TEMAKIS estão disponibilizados nos sabores de Salmão, Salmão com maionese e cebolinha, Salmão com cream cheese, Skin, Califórnia e Kani. Visite-nos e prove dessa delícia! ;)

jan 14, 2013
yakisoba

História do sushi: origem e tipos de sushi

A história do sushi remonta à necessidade de conservação de peixe cru, através de técnicas desenvolvidas no Sudeste Asiático.

A cabeça e as vísceras eram retiradas, os filés do peixe cru eram salgados e acondicionados em um barril de madeira com camadas de arroz cozido entre eles. Com a fermentação natural do arroz, ocorria a liberação de ácido láctico, o que azedava o peixe e garantia sua conservação. O longo processo de armazenamento (de 1 a 3 anos) tornava o arroz impróprio para consumo e somente o peixe era aproveitado.

Ao ser introduzida no Japão, no século VII, essa técnica sofreu uma pequena modificação: a utilização de pedras para prensar o peixe cru e o arroz. Estava criado o tipo de sushi “Nare zushi”, que tinha o odor e sabor fortes como características. Um exemplo atual desse tipo de sushi é o “Funa zushi”, feito com a carpa.

Em seguida, no século XV, um tipo de sushi chamado “Nama Nare zushi” foi criado. Basicamente, tratava se do “Nare zushi” com um período de fermentação menor (cerca de 1 mês), o que já permitia o consumo do arroz e do peixe juntos. É considerada a primeira forma do sushi moderno.

A introdução do vinagre no preparo do arroz para sushi ocorreu no século XVII, em Edo (atual Tóquio) pelo médico Matsumoto Yoshiichi. Isto possibilitou a redução do tempo de preparo do sushi para 1 dia. Com a fartura de pescados e frutos do mar na baía de Tóquio, o peixe passou a ser consumido cru e fresco. Além do ganho em tempo de preparo do sushi, o vinagre adicionou um sabor especial ao prato. Este tipo de sushi é chamado de “Haya zushi”.

Ainda no final do século XVII, um novo tipo de sushi é criado na região de Osaka: o “Oshi zushi”. Numa caixa de madeira, o arroz de sushi e o peixe cru são colocados com um peso por cima para comprimi los. O sushi é cortado em pedaços retangulares. O estilo de sushi de Osaka ficou conhecido como estilo Kansai. Continue lendo »

jan 14, 2013
yakisoba

13 tradições japonesas incluídas em lista de patrimônios da Unesco

O objetivo da lista de patrimônios imateriais é aumentar consciência sobre a diversidade

Um comitê da Unesco decidiu incluir 13 tradições japonesas na lista de heranças culturais imateriais representativas da entidade, quarta-feira 23.

Ao todo, 76 bens de 28 países estão na lista até agora. O objetivo do documento é aumentar a consciência mundial sobre a importância da diversidade.

O Japão sugeriu, à Unesco, a inclusão de 14 tradições culturais típicas do país.

A organização, porém, solicitou a retirada de um dos itens: a técnica, utilizada por monges budistas, de reparar estátuas de madeira.

Os 13 novos itens da lista da Unesco são:

- Gagaku, uma espécie de estilo musical erudito que, tradicionalmente, é executado na corte imperial

- Ojiya-chijimi e Echigo-jofu, tecidos de cânhamo típicos da província de Niigata

- Sekishu-banshi, um papel típico da província de Shimane

- Hitachi Furyumono, um festival de Ibaraki cujas principais características são o desfile de barcos enfeitados e a performance de bonecos

- Desfile de Yamahoko, que apresenta um total de 32 barcos enfeitados, no Festival Gion, em Kyoto

- Toshifon, um festival folclórico na cidade de Koshikijima (Kagoshima)

- Aenokoto, um evento de oferenda ao deus do arroz, realizado em Okunoto (Ishikawa)

- Hayachine Kagura, uma performance de música sagrada do xintoísmo, típica da província de Iwate

- Taue-odori, uma dança para pedir boas colheittas, típica de Akiu (Sendai)

- Chakkirako, uma dança de meninas que pede boa colheita, pesca e sucesso nos negócios, típica de Kanagawa

- Dainichido-bugaku, uma música e dança de corte típica de Akita

- Daimokutate, rituais xintoístas típícos de Nara

- A dança tradicional Ainu

Fonte: Made in Japan

jan 14, 2013
yakisoba

A saudável comida japonesa

Nutritiva, equilibrada, leve e saborosa, a culinária japonesa é considerada uma das mais saudáveis do mundo. Preparadas à base de arroz, algas, legumes, verduras, frutos do mar e peixe, as refeições valorizam alimentos ricos em diversas substâncias benéficas ao organismo.

A harmonia entre os ingredientes utilizados é um dos segredos milenares da longevidade do povo japonês. Aliada à genética, à maneira de lidar com o estresse e à medicina avançada, a alimentação saudável contribui para que os japoneses estejam no topo do ranking de expectativa de vida divulgado pela Organização Mundial da Saúde, variando entre 79 e 86 anos de vida.

Servidos com a intenção de agradar não só aos olhos, mas também ao paladar, os pratos levam pouca ou nenhuma gordura saturada, nociva ao organismo e responsável por aumentar o colesterol ruim. Por utilizar muitos alimentos crus, preservam 100% dos nutrientes, ricos em substâncias importantes para a preservação da saúde.

E para quem pensa que apenas os pratos frios são benéficos, a culinária japonesa tem diferentes opções de pratos quentes saudáveis e balanceados. Um exemplo é o Yakissoba, considerado um prato completo e equilibrado por conter massa, proteína animal e vegetal, além de diversos legumes.

Taeq fez uma seleção para você conhecer alguns dos ingredientes da culinária japonesa e os benefícios que eles podem trazer ao organismo. Mas lembre-se que para aproveitar tudo isso é preciso ingerir os alimentos com moderação.

Wakamê (algas): excelente fonte de iodo, contribuem para o bom funcionamento da tireoide e do sistema imunológico. Ricas em vitaminas do complexo B, são importantes reguladores da serotonina, hormônio que confere a sensação de prazer e bem-estar.

Sashimi (peixe cru como atum, salão e truta): ricos em ômega 3, substância que contribui para a diminuição dos níveis de colesterol no sangue, ajuda a diminuir os riscos de doenças cardiovasculares, como hipertensão, infarto e derrames. Continue lendo »

jan 14, 2013
yakisoba

Comida tradicional japonesa exige regras a mesa

Conheço muita gente que adora comer as delícias da culinária japonesa, mas o que talvez ninguém saiba, é que é preciso alguns cuidados básicos na hora de degustar essa culinária tão tradicional e cheia de sabor. Confira algumas dicas fundamentais para você não errar na hora de se servir.

Etiqueta Japonesa

- Ao início da refeição, se diz “itadakimasu” (equivalente ao nosso “bom apetite”) e ao terminar dizem “gochiso sama” (equivalente ao nosso “estou satisfeito”).

- Normalmente não se usa talheres ocidentais, preferindo-se os pauzinhos (hashi). A tigela de arroz é colocada à esquerda e a de sopa à direita do comensal. Os hashi são colocados em frente a elas, na horizontal.

- Deve-se segurar o hashi com a mão direita. Como se come segurando as tigelas de arroz ou sopa usam-se a mão esquerda para esta finalidade. É costume beber a sopa diretamente da tigela auxiliando com o hashi para comer as partes sólidas da mesma.

- Em pausas, deverá deixar o hashi em cima da tigela na horizontal ou sobre okibashi (descanso de hashi). Não se deve deixá-los cruzados ou espetados.

- Diferentemente dos ocidentais, os japoneses quando tomam sopa, costumam fazer ruídos de sucção, como demonstração de polidez à mesa.

- Em restaurantes, antes de se servir, é oferecido um oshibori (toalhinha úmida quente para limpar as mãos). É falta de polidez limpar outras partes além da mão como o rosto ou o pescoço.

- Não espete o hashi em nenhum tipo de comida, pois além de ser feio, esse ato tem um sentido especial para os japoneses. O hashi só é espetado na posição vertical nas missas religiosas quando os japoneses oram e acendem os incensos no butsudan. Continue lendo »

jan 14, 2013
yakisoba

A cor vermelha na cultura japonesa

Proteção contra doenças e maus espíritos está associada à cor; saiba mais curiosidades

A cor vermelha tem grande presença na cultura tradicional japonesa, desde a antiguidade até hoje.

Para começar, a referência mais imediata é a própria bandeira do país, chamada Hinomaru. O círculo vermelho representa o Sol. Ainda, a combinação de vermelho e branco é tida como de boa sorte.

Muito antes – aproximadamente século 6 – o vermelho já representava muito no cotidiano dos japoneses. A cor era fortemente relacionada a doenças. Porém, com o tempo, passou a ser associada exatamente como proteção contra doenças e maus espíritos.

A crença estava especialmente relacionada à proteção das crianças. Aliás, “akachan” (palavra japonesa para “bebê”) é formada pelo ideograma da cor vermelha (”akai”).

No Japão, são comuns estátuas de Jizo Bosatsu cobertas com gorros, casacos ou cachecois vermelhos. Jizo é uma uma divindade budista, protetor das gestantes, recém-nascidos, crianças e também dos abortados.

Construções religiosas, tanto budistas como xintoístas, não raramente utilizam o vermelho. Por exemplo, o torii (portal), quando de madeira, é pintado de vermelho, como sinal de proteção.

Talvez por isso, os personagens principais de muitos desenhos animados e seriados usam roupas ou robôs vermelhos, assim como a maioria dos logotipos de empresas japonesas.

No folclore japonês, figuras como o tengu e o Daruma também geralmente são vermelhos.

Atualmente, os japoneses usam muito o inkan, carimbo com o ideograma da família, que funciona como a assinatura em documentos. Tradicionalmente, utiliza-se uma almofada com tinta vermelha. Sistema semelhante é usado na China.

Já na cultura coreana, não se escreve o nome de uma pessoa viva em vermelho, pois a cor é usada para escrever o nome dos falecidos.

Nem tudo é tão diferente do Ocidente: a palavra japonesa para “déficit” utiliza o ideograma de vermelho.

Fonte: Made in Japan

jun 12, 2012
yakisoba

Uramaki

Uramaki é uma criação mais recente, da década de 70. Criada em Los Angeles é uma variação do makisuzhi motivada pela repulsa que os europeus e americanos sentiam ao ver o nori. Essa repulsa era por causa da cor preta do nori. Assim, passaram a enrolar o nori por dentro.

Um dos tipos mais famosos do uramaki é o California maki, com recheio de abacate, pepino, kanikama e maionese. É o sushi que consta na lista dos três melhores e mais consumidos dos Estados Unidos.

Além deste existem como o New York Roll (pele de salmão + pepino) e o Boston Roll (camarão + alface + maionese).

Autor: A Casa do Yakisoba

jun 12, 2012
yakisoba

A história do Sushi

O sushi, um prato japonês tão típico, tem origens que remontam aos tempos pré-históricos. Através dos séculos, ele tem sido apreciado em um grande número de variações; desde o mais simples e cotidiano, como o atum enrolado em arroz avinagrado e alga Nori, ao elegante sushi criado para ocasiões festivas.

O Japão é uma nação constituída por ilhas com uma variedade enorme de peixes e mariscos. As ilhas são montanhosas, com uma pequena área cultivável. A sua densa população se alimenta do que extrai do mar e dos seus campos de arroz e isso fez com que sua cozinha fosse focada naquilo que a natureza local oferecia. O que pode parecer exótico ao olhar estrangeiro, como a combinação de peixe cru com arroz, é extremamente lógico num lugar com essas características.

O sushi apareceu há séculos no Japão como um modo de conservação do peixe. Era um método proveniente dos países do sudoeste da Ásia que consistia na prensagem de peixe com sal. O peixe fermentava durante alguns meses antes de ser consumido. Alguns restaurantes em Tóquio ainda servem esse sushi original, chamado Nare-sushi, feito com carpa de água-doce. O seu sabor é tão forte que acaba por encobrir totalmente o sabor do peixe.

Foi somente no começo do século passado que um hábil chef chamado Yohei decidiu fazer com que o sushi deixasse de ser apenas um método de preservação, e acabou desenvolvendo um sushi parecido com o conhecido hoje em dia. O prato, rapidamente, se tornou muito popular no Japão em duas modalidades: o Kansai, da cidade de Osaka, na região de Kansai; e o Edo, de Tóquio. Osaka sempre foi a capital comercial do Japão, e os seus comerciantes de arroz desenvolveram um sushi que consistia primeiramente em arroz temperado misturado com outros ingredientes, servido em uma embalagem comestível decorada. Tóquio, localizada numa baía rica em peixe e frutos-do-mar, produzia o Nigiri-sushi, que consistia em uma pequena porção de peixe ou fruto-do-mar sobre um bolinho de arroz temperado.

Autor: A Casa do Yakisoba

jun 12, 2012
yakisoba

A história do tempura

O tempura é feito com vários tipos de peixes, moluscos e vegetais que são envolvidos por uma fina camada de massa e fritos em muito óleo quente. Trata-se de um prato muito popular que pode ser degustado em casa ou em restaurantes, especializados ou não.

A massa,ou koromô, é feita de farinha, gemas de ovo e água. Os ingredientes são mergulhados na massa. Depois o tempura é frito em óleo vegetal. E está pronto. Agora é só molhar no tentsuyu, caldo no qual se mergulha o tempura, ou no yakumi, condimentos.

História

Tempura foi trazido ao Japão pelos portugueses, incorporando assim, esse excelente prato a cozinha japonesa. Ele é um alimento japonês muito popular e exótico, sendo um dos mais consumidos fora do Japão.

Autor: A Casa do Yakisoba

jun 12, 2012
yakisoba

Temaki

Temaki é o sushi enrolado com as mãos, em que cada um escolhe o seu recheio favorito, dentre os ingredientes dispostos à mesa junto com o arroz temperado com vinagre e nori. Trata-se de um novo estilo de se comer sushi em que se enrola o arroz e o recheio num pedaço de nori, que equivale a 1/4 do tamanho da folha inteira. Todos os peixes e frutos do mar podem ser utilizados como recheio do temaki, desde ovas de salmão (ikura), ouriço do mar (uni), soja fermentada em grãos (natto) a conservas (tsukemono) ao lado de outros menos tradicionais como presunto, tomate, queijo, atum em lata, maionese e outros molhos.

Páginas:12»